Picos(PI), 17 de Novembro de 2018

Matéria / Saúde

Número de gestantes com sífilis cresce mais de 60% no Piauí; saúde faz alerta

O tratamento é ofertado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS)

19/10/2018 - Jesika Mayara

Imprimir matéria
P40G-IMG-9ab5c9304a720fe2b7.jpg (Foto: Reprodução)
P40G-IMG-9ab5c9304a720fe2b7.jpg (Foto: Reprodução)

Dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) mostram um aumento crescente nas notificações de gestantes com sífilis, doença sexualmente transmissível. Em dois anos houve aumento de mais de 60% dos casos de mulheres grávidas infectadas.

(Foto: Cristina Cabral/ G1 AM)

A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível, curável, causada por bactéria e pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios. A doença pode ser transmitida por relação sexual sem proteção com uma pessoa infectada, ou para a criança durante a gestação ou parto. O tratamento é ofertado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

No Piauí houve 272 notificações de gestantes com sífilis em 2016, número que aumentou para 341 no ano seguinte e 447 até outubro de 2018. Os dados referentes a sífilis congênita, quando há a transmissão da mãe para filho, também são desanimadores e por isso a necessidade do tratamento o mais rápido possível para evitar que os bebês também sejam infectados.

Os números representam um alerta para a Secretaria de Estado da Saúde que desenvolve regularmente ações para prevenção e conscientização da doença junto aos municípios e à população, como a disponibilização de testes rápidos e gratuitos. No mês de outubro, as ações são intensificadas por conta do Dia Nacional de Combate à Sífilis, marcado para o terceiro sábado do mês, no próximo dia 20.

“A sífilis é considerada uma doença antiga e que nem todos tomam os cuidados necessários. É por isso que a Saúde fomenta junto aos municípios a elaboração de programações locais para informar a população sobre o que é a doença e sua forma de tratamento”, destaca Karinna Amorim, coordenadora de Doenças Transmissíveis do Estado.

Ela alerta ainda ainda sobre as subnotificações dos casos, estimulando a busca e tratamento dos parceiros de gestantes com sífilis.

Karinna Amorim destaca que a preocupação de realizar ações de prevenção à sífilis é um alerta aos profissionais de saúde por conta do aumento da incidência da doença em gestantes, em crianças após o parto, além das notificações de ocorrências de sífilis congênita.

A prevenção da sífilis se dá de forma simples, como o uso correto e regular da camisinha feminina ou masculina. O acompanhamento das gestantes e parceiros sexuais durante o pré-natal de qualidade contribui para o controle da sífilis congênita.

Testagem e aconselhamento

Os Centros de Testagem e Aconselhamento Estaduais (CTA) realizam testes rápidos e gratuitos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para doenças como HIV/Aids, sífilis e hepatites, além de orientações para prevenção e combate a doenças transmissíveis.

Na Capital, o Centro funciona na Rua 24 de Janeiro, 124/N, edifício Teresa Cristina, 2º andar, esquina com a Rua Álvaro Mendes. O CTA também está presente em Parnaíba, Picos, Floriano, Piripiri e Oeiras.

 

Cidade Verde

Facebook