Picos(PI), 17 de Agosto de 2019

Matéria / Esporte

Flamengo supera Emelec nos pênaltis e está nas quartas de final da Libertadores

Desde 2010 que os cariocas não passavam das oitavas na competição sul-americana

01/08/2019 - Redação

Imprimir matéria
P40G-IMG-b9e07c45001f78c3ac.jpg (Foto: Alexandre Vidal e Marcelo Cortes / Flamengo)
P40G-IMG-b9e07c45001f78c3ac.jpg (Foto: Alexandre Vidal e Marcelo Cortes / Flamengo)

Foi dramático, sofrido, mas o Flamengo está nas quartas de final da Copa Libertadores, após vencer o Emelec, por 2 a 0, no tempo normal, e por 4 a 2, nos pênaltis. No jogo em Guayaquil, a vitória fora dos equatorianos também por 2 a 0. Com o resultado, o time carioca vai enfrentar o Internacional na briga por uma vaga nas semifinais. Desde 2010 que os cariocas não passavam das oitavas na competição sul-americana.

A classificação evita uma crise na Gávea, afinal uma nova eliminação seria vexatória para o clube de maior investimento no ano. O Flamengo foi eliminado na Copa do Brasil pelo Athletico-PR. 

O Flamengo começou o jogo com o espírito de seus torcedores, que gritavam "Vamos virar, Mengo". Em quatro minutos, foram quatro boas chances para abrir o placar. Logo aos 23 segundos, Willian Arão chutou com perigo sobre o gol de Dreer. Aos 2, foi a vez de Éverton Ribeiro errar o alvo. Aos 4, Gabriel falhou duas vezes no mesmo lance.

Mas a pressão foi enorme e o primeiro gol saiu aos 10. O árbitro deu pênalti em Rafinha. Gabriel bateu com categoria: 1 a 0. Bruno Henrique tomou conta do jogo, criou duas boas oportunidades, antes de fazer a assistência para o segundo gol de Gabriel, aos 19.

Mesmo em desvantagem no placar, o Emelec não se abriu, pareceu satisfeito com a possibilidade de decidir nos pênaltis. Os equatorianos não encontraram possibilidades de contra-ataque, porque a defesa carioca estava protegida pela boa atuação de Cuéllar e Willian Arão. 

Outro destaque do Flamengo no primeiro tempo foi a dupla de zaga formada por Thuler e Pablo Mari. Segura, entrosada e confiante. Só uma vez o Flamengo falhou na cobertura e os velozes Guerrero e Queiróz quase conseguiram surpreender Diego Alves. 

No segundo tempo, o entusiasmo nas arquibancadas foi o mesmo, mas a postura do Emelec e do Flamengo mudaram. Os equatorianos partiram para o ataque e Queiróz quase fez o primeiro gol dos visitantes. Aos dois minutos, o chute saiu forte e Diego Alves apenas torceu para a bola sair. Aos sete, o goleiro pegou bem outro chute forte, desta vez de Caicedo. 

Aos 13, Jorge Jesus percebeu que Everton Ribeiro não voltou com o mesmo desempenho da primeira etapa e o substituiu por Arrascaeta. No primeiro lance, o uruguaio cobrou escanteio, Bruno Henrique desviou e Thuler, na segunda trave, perdeu grande chance. 

Gabriel voltou a sentir dores na perna esquerda e foi substituído por Reinier. O Flamengo perdeu o poder de criação, enquanto o Emelec passou a ser mais perigoso. Carabalí, de cabeça, quase fez o primeiro gol, aos 31 minutos.

O fim do jogo foi dramático para o Flamengo, que acusou cansaço. Arrascaeta, mesmo sem totais condições de jogo, tentou armar as jogadas. O Emelec ganhou confiança em poder marcar o gol, que garantiria a classificação ainda nos 90 minutos. Mas a decisão da vaga foi mesmo para os pênaltis.

Arrascaeta, Bruno Henrique, Renê e Rafinha converteram suas cobranças. Diego Alves pegou o pênalti batido por Dixon Arroyo e viu Queiróz acertar o travessão.

Facebook