Picos(PI), 10 de Dezembro de 2018

Matéria / Saúde

Casos de dengue no Piauí reduzem 66,7% em relação ao ano passado

Foram registrados 5.020 casos no ano passado

06/10/2018 - Jesika Mayara

Imprimir matéria
P40G-IMG-ca72fae0fa14fffa1b.jpg Lavas do mosquito da dengue (Foto: Folhapress)
P40G-IMG-ca72fae0fa14fffa1b.jpg Lavas do mosquito da dengue (Foto: Folhapress)

A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) divulgou nesta sexta-feira (05) boletim atualizado a respeito das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti no Estado. Em dados gerais, os casos de dengue, febre Chikungunya e zika reduziram consideravelmente em relação a 2017.

De acordo com o boletim, a redução nos registros de dengue chegou a 66,7% este ano. Foram registrados 5.020 casos no ano passado, enquanto que em 2018, esse número não passou de 1.672. Apesar disso, a dengue ainda é considerada a doença transmitida pelo mosquito que contabiliza o maior número de notificações no Piauí.

Em segundo lugar, mas também com redução considerável, aparece a febre Chikungunya, que contabilizou 526 casos este anos. O número é 91,5% menor que o registrado no mesmo período de 2017. Teresina foi o município mais afetado, com 335 casos notificados pela Sesapi.

Já com relação à zika, foram notificados somente 25 casos em 2018, enquanto que em 2017, esse número era mais que o dobro: 86 casos prováveis.

O técnico em epidemiologia da Sesapi, Ocimar Alencar, explica a importância que pequenas atitudes adotadas no dia a dia têm para prevenir a transmissão de doenças pelo Aedes aegypti. “O mosquito gosta de água parada, seja limpa ou suja, por isso todo cuidado é pouco para não deixar água parada em casa. O pneu esquecido no quintal, o vaso de planta na varanda, ou até mesmo a calha de escorrimento de água no telhado podem ser locais propícios para a proliferação do mosquito”, pontua o representante da Sesapi.

Facebook