Picos(PI), 22 de Fevereiro de 2024

Matéria / Geral

Agronegócio e energias renováveis fazem disparar PIB de municípios do Piauí

12/02/2024 - Jesika Mayara

Imprimir matéria
P40G-IMG-023c97429ba0afc7b4.jpg Parque Eólico Lagoa dos Ventos (Foto: Reprodução)
P40G-IMG-023c97429ba0afc7b4.jpg Parque Eólico Lagoa dos Ventos (Foto: Reprodução)

Nos últimos 20 anos, a principal atividade de econômica de vários municípios do Piauí migrou para o agronegócio ou indústria, trazendo desenvolvimento mais rápido a regiões que antes tinham baixos índices de desenvolvimento. Graças ao crescimento da produção de soja e de milho, e da chegada de parques de energias renováveis, a realidade dessas cidades agora é outra. 

Estudo da Secretaria do Planejamento (Seplan), com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que, além da mudança de atividade, o PIB desses municípios cresceu muito acima da média dos demais, principalmente nos últimos cinco anos. Como consequência, essas cidades foram campeãs na geração de empregos. 

O município de Queimada Nova, por exemplo, localizado no sertão do Piauí, a 518 km de Teresina, teve um desempenho impressionante: entre 2020 e 2021, o PIB mais que dobrou, passando de R$ 119 milhões para R$ 253 milhões – alta de 111%. Isso graças à instalação do Parque Lagoa dos Ventos, maior complexo eólico da América do Sul. 

Além de Queimada Nova, o crescimento do PIB dos municípios de Dom Inocêncio (71,1%), Simões (52,5%), Lagoa do Barro (52,1%) e Ilha Grande (49,6%) está relacionado, principalmente, ao avanço dos empreendimentos de energias renováveis (eólica e solar).

O levantamento do IBGE mostra que, dos 10 municípios piauienses que mais registraram crescimento no PIB, entre 2020 e 2021, o carro-chefe de suas economias é energia renovável ou o agronegócio. 

Na geração de empregos, os municípios ligados ao agronegócio estão entre os que mais criam oportunidades de trabalho. De janeiro a novembro de 2023, Ribeiro Gonçalves, cuja economia e voltada para a produção de soja e milho, foi o quarto que mais gerou empregos, com um saldo positivo de 1.252 vagas. Ele ficou à frente de cidades bem maiores, como Floriano, Picos, União e Altos.

Assim como Ribeiro Gonçalves, os municípios localizados no cerrado piauiense, bioma onde está concentrada a produção agrícola de soja e milho, foram os maiores gerados de empregos entre 2020 e 2021. Eles englobam principalmente dois territórios de desenvolvimento: Tabuleiro do Alto Parnaíba e Chapa das Mangabeiras. 

Dos 12 territórios do Piauí, de janeiro a novembro de 2023, o Tabuleiro do Alto Parnaíba gerou um saldo positivo de 3.182 vagas, e o Chapadas das Mangabeiras, 826 ocupações. Ficaram atrás apenas dos territórios Entre Rios, Cocais e Planície Litorânea. Porém, esses três últimos abarcam os municípios mais populosos do estado, como Teresina, Parnaíba e Piripiri. Já Tabuleiro e Chapada englobam municípios menos populosos. Proporcionalmente, portanto, os dois últimos territórios empregaram mais. 

 

CCOM  PI

Facebook